Charge do 'Charlie Hebdo' sobre terremoto revolta italianos

Reprodução

Reprodução

O jornal satírico francês Charlie Hebdo publicou, esta sexta-feira, um cartoon sobre as vítimas do terramoto ocorrido em Amatrice, no dia 24 de agosto, e está a causar uma enorme indignação entre os italianos. Na redação daquele meio de comunicação francês, não há temas tabus - e isso já lhes valeu um atentado por parte de fundamentalistas islâmicos, em 2015, em virtude da publicação de 'cartoons' relacionados como o profeta Maomé.

Na sátira, intitulada "Terremoto à italiana", o jornal mostra um desenho de um homem coberto de sangue, chamado de "penne ao molho de tomate", uma mulher machucada, definida como "penne gratinado", e vários corpos empilhados e ensanguentados, que receberam o nome de "lasanhas".

No título da publicação, que saiu na edição de 31 de agosto, pode ler-se "Sismo à italiana".

Apesar de rivais na política, representantes de todos os grandes partidos políticos da Itália criticaram o uso dos mortos da tragédia pelo Charlie Hebdo. Entre os indignados está Sergio Pirozzi, prefeito de Amatrice - uma das cidades mais afetadas pelo terremoto - "Mas como se faz uma vinheta sobre os mortos!" "Tenho certeza que essa sátira desagradável e embaraçante não corresponde ao verdadeiro sentimento dos franceses".

A embaixada da França em Roma publicou um comunicado em seu site e no Twitter, dizendo que o cartum "não representa em absoluto" a posição do país e que é uma "caricatura da imprensa (e) as opiniões expressas livremente são dos jornalistas".