Quatro mortos em ataque a organização não-governamental em Cabul

Bombeiros a transportar uma das vítimas do ataque suicida em Cabul | REUTERS  Mohammad Ismail

Bombeiros a transportar uma das vítimas do ataque suicida em Cabul | REUTERS Mohammad Ismail

Outras 90 pessoas ficaram feridas.

Este balanço pode ainda aumentar, preveniu a mesma fonte.

O porta-voz do Ministério do Interior afegão, Sediq Sediqi, confirmou à agência Efe a morte de um segurança no ataque ao edifício na ONG Pamlarana, de onde as forças de segurança resgataram 42 pessoas.

Os dois talibãs suicidas, que se deslocaram a pé, acionaram os respetivos cintos de explosivos com poucos minutos de intervalo, com o objetivo de fazer o maior número possível de vítimas entre os funcionários que deixavam na altura o ministério para regressar a casa.

Essa explosão aconteceu horas depois de altos dirigentes, incluindo um general do exército, morrerem num atentado duplo junto ao Ministério da Defesa.

O porta-voz do Ministério da Defesa, Mohammad Radmanish, disse que duas bombas se sucederam rapidamente em uma região de grande movimento.

"É por isso que atacam autoestradas, cidades, mosteiros, escolas e pessoas comuns", acrescentou o chefe de Estado afegão através de um comunicado.

Cabul voltou a ser alvo de ataques insurgentes menos de duas semanas depois de um grupo talibã invadir a Universidade Americana, deixando 17 mortos e 40 feridos.