Campanha para combater a AIDS é lançada pelo Ministério da Saúde

Por dia, dez novos casos de HIV em Mato Grosso do Sul, aponta organização

Por dia, dez novos casos de HIV em Mato Grosso do Sul, aponta organização

O problema principal é que 112 mil ainda não sabem que têm a doença.

De acordo com a diretora do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Adele Benzaken, essas pessoas que sabem que estão infectadas e não recebem o tratamento, em parte, estão em negação com relação ao vírus. Ainda assim, o número representa cerca de 41 mil novos casos todos os anos no país. Entre 2000 e 2015, as novas infecções por HIV foram reduzidas em 25% e as mortes em 23%.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse que a certificação vai incentivar os municípios a zerar a transmissão vertical. Essa data também é dedicada à solidariedade, compreensão e compaixão com as pessoas infectadas pelo HIV, na luta contra a discriminação e preconceito que elas sofrem diariamente. Passando de 3,9 casos para cada 100 mil habitantes em 2010 para uma taxa de 2,5 casos em 2015.


CNBB e Pastoral da Aids se unem ao Ministério da Saúde para incentivar a testagem e tratamento ao HIV/aids.

A epidemia tem se concentrado, principalmente, entre populações vulneráveis e nos mais jovens. Enquanto que em 2006, a razão entre os sexos era 1,0 caso em mulher para cada 1,2 casos em homem, em 2015, é de 1 caso em mulher para cada 3 casos em homens.

No caso do sexo feminino, houve redução em quase todas as faixas etárias e o crescimento foi registrado apenas entre mulheres com mais de 70 anos, com incremento de 59%. A taxa caiu de 9,7 óbitos para cada 100 mil habitantes em 1995 para 5,6 óbitos em cada 100 mil habitantes em 2015.


AUMENTO DA PEP - O Ministério publicou um novo Protocolo Clinico de Diretrizes e Tratamento que simplifica os procedimentos para o uso de medicamentos antirretrovirais após exposição ao vírus do HIV. Além disso, há também a redução do tempo de acompanhamento dos pacientes, que passa de seis para três meses.

OFERTA DO DOLUTEGRAVIR - Outro avanço é a oferta do Dolutegravir, considerado atualmente o melhor medicamento para tratamento da Aids, por apresentar uma série de vantagens como potência muito alta; nível muito baixo de eventos adversos; maior comodidade para o paciente: uma tomada diária; tratamento eficaz por mais tempo e menor aparecimento de vírus resistentes ao longo do tratamento. A ação tem como objetivo disseminar informações sobre a doença, as formas de prevenção e tratamento na comunidade católica, aproveitando a ocasião do Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado no dia 1º de dezembro. Além disso, o ministério organiza para esta quarta-feira um talk show com youtubers sobre a doença.