Eduardo Baptista anuncia saída da Ponte Preta; destino deve ser o Palmeiras

Código 19  Gazeta Press

Código 19 Gazeta Press

Eduardo Baptista confirmou o Palmeiras como um dos prováveis destinos. Na Ponte Preta está em décimo lugar no Campeonato Brasileiro. Cheguei em abril para fazer um trabalho, acredito que tudo que estava planejado, conseguimos fazer, entre altos e baixos. Livre, o treinador agora vai rumar para São Paulo, onde será anunciado como o novo comandante do Palmeiras.

O próprio Eduardo falou em seguida e se explicou.

Eduardo Baptista tem contrato com a Ponte Preta até o fim de 2017. Ele, aliás, já ficou como interino no comando do time na reta final da temporada passada. Palmeiras vive um momento melhor financeiramente, mas não é dinheiro que vai me contratar.

O presidente da Ponte Preta, Vanderlei Pereira e o diretor de futebol do clube, Hélio Kazuo acompanharam o treinador na coletiva de despedida.

Roger Machado e Abel Braga, que também estavam no radar do Palmeiras, nos últimos dias acertaram com Atlético Mineiro e Fluminense, respectivamente.

"O Eduardo tem algumas situações a serem definidas e ele prefere resolver fora do clube". Seria egoísmo ouvir propostas e continuar com o trabalho aqui. Temos mais situações escolher o que será melhor para mim - resumiu o Baptista. "Não tem nada de concreto e tem mais situações para gente estudar", esclarece.

- Já seria difícil para o Cuca, com um elenco montado, torcida apaixonada.

Em 43 partidas à frente da equipe, contando Série A do Brasileiro e Copa do Brasil, Eduardo conquistou 17 vitórias, 11 empates e 15 derrotas, com 48% de aproveitamento no geral. Com contrato até dezembro de 2017 - e uma multa rescisória, Eduardo participava ativamente do planejamento da Macaca para a próxima temporada há aproximadamente quatro meses, quando renovou o vínculo, com indicação de jogadores. Ele já teve chance de deixar o Majestoso durante o Brasileirão, quando recebeu consultas do Corinthians e do Grêmio, mas deixou claro que não sairia antes de cumprir os objetivos com a Ponte na elite. Agora com a permanência garantida, o ciclo já pode ser encerrado. Antes da Ponte Preta, Eduardo trabalhou no Sport, onde foi campeão da Copa do Nordeste e do Pernambucano, ambos no ano passado, e também no Fluminense, onde ficou de agosto de 2015 até fevereiro desta temporada.