Portugal é dos países europeus com maior disparidade salarial

Portugal tem a maior subida em cadeia no emprego no 3.º trimestre- Eurostat

Portugal tem a maior subida em cadeia no emprego no 3.º trimestre- Eurostat

Comparando os diferentes países, como se pode ver pelo gráfico abaixo - do Eurostat, verifica-se que a disparidade salarial é superior a 4 em 6 países: Polónia (4,7), Roménia (4,6), Chipre (4,5), Portugal (4,3), Bulgária (4,2) e Irlanda (4,1).

De acordo com os dados deste gabinete, divulgados hoje, as atividades financeiras e de seguros estão entre as mais bem pagas. Já o alojamento e serviços de alimentação ficam entre aquelas onde a remuneração é menor, na generalidade dos Estados.

Um salário médio em Portugal ronda os 5,12 euros à hora, ou seja, cerca de 80 euros por mês, contudo quando se trata de um trabalhador bem pago, o valor à hora sobe para 14,37 euros.

Num outro indicador, Portugal surge mesmo em primeiro lugar: a diferença entre os salários mais elevados e a média de todos os salários é de 2,8 vezes.

Na Roménia (-1,4%), na Letónia (-1,1%) e na Bulgária (-1,0%), o indicador recuou na comparação homóloga.

Para analisar a discrepância salarial na União Europeia, o Eurostat calcula o salário médio por hora dos que mais recebem.

O crescimento de 1,3% foi o mais alto de todos os países analisados, e contrasta com a média de 0,2% tanto na Zona Euro como na União Europeia.

Os suecos mais pobres ganham em média 14,1 euros à hora, quase tanto como os portugueses mais ricos que auferem 14,40 euros.

O Eurostat também compara o salário médio geral com a média dos salários que menos ganham por hora.