Cassado, Cunha deve depor hoje ao juiz Sérgio Moro

Guilherme Waltenberg  Metrópoles

Guilherme Waltenberg Metrópoles

O juiz Sérgio Moro, responsável pala Lava-Jato, desejou nesta segunda-feira boa sorte ao ministro que vai ocupar a vaga deixada por Teori Zavascki, que morreu em acidente aéreo no mês passado.

Durante a sua intervenção, o juiz federal defendeu a Lava Jato, refutando a crítica de que a investigação criminaliza a política. A audiência foi marcada em dezembro, depois que foram ouvidas as testemunhas do caso. Ele falou sobre os "trusts" em audiência acompanhada por Cunha. Nesse processo, Eduardo Cunha é acusado pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de fraudulenta de divisas.

De acordo com o advogado de Cunha, Marlus Arns de Oliveira, apesar de ter o direito de ficar calado, o deputado cassado falará. O depoimento é referente ao processo em que Cunha é réu pela acusação de receber propina no valor de R$ 5 milhões em contrato para a compra de um campo de petróleo pela Petrobras em Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro. "É um interrogatório em que ele não deve permanecer em silêncio". "Não há nenhuma sinalização relativa à colaboração premiada". O ex-deputado chegou na sede da Justiça Federal por volta das 14h15 e entrou na sala de audiências por volta das 15h20 com vários documentos.

O deputado cassado está preso preventivamente desde o dia 19 de outubro. O MP pediu a prisão preventiva por causa de contas dele não identificadas no exterior e da sua dupla nacionalidade, que lhe facilitaria uma eventual fuga. Quando deputado, Cunha tinha foro privilegiado e o processo era julgado no Supremo Tribunal Federal (STF), com a perda do mandato, o caso foi encaminhado para o juiz Sérgio Moro. (Com informações da Agência Brasil).

Recommended News