'Minha Casa' amplia foco na classe média

Temer anunciará regras para 'Minha Casa Minha Vida'; saiba como proceder

Temer anunciará regras para 'Minha Casa Minha Vida'; saiba como proceder

Os limites de faixa de renda familiar serão corrigidos pela inflação: a faixa intermediária, de R$ 2,3 mil subirá para R$ 2,6 mil; a de R$ 3,6 mil chegará a R$ 4 mil e a de R$ 6.500 a R$ 7 mil, segundo O Globo. Enquanto a taxa é de 9,16% ao ano para quem ganha R$ 9 mil, o juro é de 5% para famílias com renda de R$ 2,6 mil. Para a faixa 1,5, a meta é de 40 mil e, para as Faixas 2 e 3, 400 mil. "As condições para a virada estão reunidas, basta que trabalhemos". Na faixa 1,5, o teto passa de R$ 2.350 para R$ 2.600. A renda máxima para solicitar o crédito passou de R$ 6.500 para até R$ 9.000.

O governo também elevou o valor teto dos imóveis que podem usar recursos do FGTS.

No seu discurso, Temer ressaltou que o governo federal vem ampliando o Minha Casa, Minha Vida. Por outro lado, a disponibilidade de terrenos viáveis dentro do Recife para imóveis do Minha Casa Minha Vida deve permanecer como uma falha na oferta, já que o solo da cidade torna os custos com a fundação extremamente caros e pouco viáveis para o programa.

Tanto o ministro quanto o presidente Michel Temer destacaram em seus discursos a capacidade da construção civil de criar empregos na sociedade. "Um dos setores que mais facilmente e mais coletivamente podem empregar é o setor da construção civil", explicou ele. O Tesouro Nacional entrará com R$ 200 milhões para cobrir subsídios. O montante passa de R$ 64,4 bilhões para R$ 72,9 bilhões. As faixas de renda terão novos valores.

Após muita expectativa e especulações do setor, o Governo Federal divulgou nesta segunda-feira (6) o plano para 2017 do Minha Casa Minha Vida. Atualmente existem quatro faixas de renda. Como já era previsto, o programa originalmente popular ficou mais próximo da classe média. Eles defendem também que o valor de referência nesses casos seja o do contrato e não o já pago pelo comprador. Segundo Oliveira, o Conselho Curador do FGTS analisou com cuidado o impacto das medidas anunciadas hoje sobre o orçamento do fundo.