Barragem em risco obriga à retirada de 180 mil pessoas na Califórnia

O vertedouro danificado é visto em imagem aérea sobre a represa Lake Oroville na Califórnia

O vertedouro danificado é visto em imagem aérea sobre a represa Lake Oroville na Califórnia

Após anos de uma seca severa, o nível de água no local aumentou significativamente nos últimos dias por causa das fortes chuvas e da neve.

O departamento californiano dos recursos hídricos tinha avisado momentos antes que a barragem "podia colapsar na próxima hora".

De acordo com o Departamento of Water Resources (CDEC), o volume do reservatório obrigou a abertura da comporta de emergência, o que não foi suficiente, pois a água verteu além do limite do reservatório abrindo uma rachadura. Questionado sobre a ordem de evacuação, assumiu que foi "uma decisão difícil", mas "a mais acertada a fazer". Esta segunda-feira o cenário melhorou, com o fluxo e os níveis de água a diminuir.


Helicópteros estão transportando pedras para a barragem na tentativa de conter o vazamento.

"Agora que não há mais água vazando do desague auxiliar, apesar de isso estabilizar a situação, restam muitas incógnitas", declarou o xerife do condado de Butte, Kory Honea, durante uma coletiva de imprensa no domingo.

Cerca de 200.000 pessoas que vivem em comunidades próximas receberam uma ordem de "saída imediata" no domingo. Ainda assim, lembram que a situação mantém-se perigosa. O reservatório auxiliar está prestes a falhar.


Imagens feitas de um helicóptero pela emissora KCRA mostravam a água escapando do reservatório auxiliar e entrando em um reservatório secundário, também cheio, antes de se dirigir para o rio Feather, que atravessa Oroville.

O governador da Califórnia, Jerry Brown, também emitiu uma ordem de emergência estadual para ajudar as autoridades locais nos trabalhos de emergência e nos deslocamentos, revelou a emissora CNN. "Estive em contacto com o pessoal de emergência que cuida da situação em Oroville (.) Está claro que as circunstâncias são complexas e que mudam rapidamente", afirmou num comunicado.

"O Estado está dirigindo todo o pessoal e os recursos necessários para conduzir esta situação muito séria", acrescentou.