CGD: Centeno presta esclarecimentos às 17h30

Centeno sobre a Caixa O meu lugar está naturalmente à disposição do primeiro-ministro

Centeno sobre a Caixa O meu lugar está naturalmente à disposição do primeiro-ministro

E o primeiro-ministro não tardou em reagir.

"Tendo lido a comunicação do senhor ministro das Finanças e após contacto com Sua Excelência o Presidente da República, entendo confirmar a minha confiança no professor Mário Centeno no exercício das suas funções governativas", refere o primeiro-ministro, num comunicado enviado à comunicação social, pouco depois de terminar uma conferência de imprensa do ministro das Finanças a propósito da polémica à volta da Caixa Geral de Depósitos. A tudo isto se soma a melhoria da economia real. Em 2016, o professor Mário Centeno conseguiu o melhor exercício orçamental da nossa vida democrática, no quadro de uma reorientação da política económica, que permitiu a devolução de rendimentos e a criação de condições para o investimento, que se saldou pela aceleração do crescimento e melhorias significativas na criação de emprego. "Este esforço tem de prosseguir a par do processo de estabilização do setor financeiro". "Ainda esta semana foi concluída com sucesso a OPA do BPI, a semana passada tinha sido concluída a operação de capitalização do Millennium, a CGD tem hoje autorização da União Europeia para podermos capitalizar de forma a ser um banco 100% público e um referencial de estabilidade", afirmou.

Do ponto de vista político, em particular as críticas de PSD e CDS, diz Sousa Tavares que os dois partidos "estão numa posição de desgaste do ministro das Finanças", posição essa que acha "absurda". "Sempre e quando isso não aconteça, eu agirei".

Antes de responder às perguntas dos jornalistas, Mário Centeno fez uma declaração em que quis clarificar que nunca negou um acordo com Domingues, "só que ele não envolvia a eliminação do dever de entrega das declarações" de rendimentos, "matéria prevista noutro diploma não revogado ou alterado".