Incêndio atinge Alerj e discussão sobre privatização da Cedae é adiada

Incêndio na Alerj

Incêndio na Alerj

Amanhã, às 14h, os deputados líderes dos partidos vão se reunir com o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani (PMDB), para discutir as 211 emendas do projeto 2.345/17 que autoriza o uso das ações da Cedae para viabilizar empréstimo de R$ 3,5 bilhões da União. Foi a segunda alteração no cronograma da tramitação do projeto anunciada nesta segunda-feira pela Alerj. A privatização da Cedae é a primeira das medidas de contrapartida exigidas pelo governo federal no plano de recuperação fiscal do Estado a ser enviada à Alerj. A situação do Rio se complicou ainda mais com a decisão do ministro Luiz Fux, do STF, de adiar por 30 dias uma decisão sobre a autorização do RJ conseguir novos empréstimos.

Ainda na manhã desta segunda-feira, um princípio de incêndio fez com que o Palácio Tiradentes, sede da Alerj, fosse esvaziado.

Foi suprimida a informação de que a reunião do colégio de líderes foi transferida para terça-feira (14), às 13h. Segundo a assessoria de imprensa da Alerj, ainda não há definição sobre a pauta da sessão ordinária de terça-feira.

Mesmo com o adiamento da votação do projeto da Cedae, poderão ocorrer protestos na frente da Alerj, de acordo com nota divulgada pelo Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais.