Playboy regressa às origens: "nudez é normal"

Capa da edição de março da Playboy- Reprodução  reprodução

Capa da edição de março da Playboy- Reprodução reprodução

Um ano depois de abandonar suas origens, a edição norte-americana da revista "Playboy" voltará a publicar fotos de mulheres nuas.

"Eu serei o primeiro a admitir que o modo como a revista mostrava a nudez estava obsoleto, mas a nudez nunca foi o problema porque a nudez não é problema", acrescentou Hefner, filho do fundador da publicação, Hugh Hefner. A publicação havia parado de apresentar fotos de mulheres nuas sob o argumento de que a nudez havia ficado banal na internet, devido ao acesso fácil e grátis de conteúdo pornográfico online.

Agora que a nudez está de volta, a Playboy vai ter de descobrir como atrair um público mais jovem que já cresceu na era digital e onde o nu é comum.

Assim, a edição de março/abril marca o regresso da nudez à revista, com o título "Nudez é normal", cuja 'hashtag' já foi criada.

"Vamos retomar nossa identidade e reafirmar quem de fato somos", escreveu em seu Twitter.

Em seu 63º ano de atuação, a playboy teve Pamela Anderson, atriz famosa pelo seriado S.O.S. Malibu, como última mulher a posar nua, na edição de janeiro/fevereiro de 2016.

Aqui no Brasil, desde que a PBB Entretainment assumiu a revista, no lugar da editora Abril, o nu frontal deixou de ser obrigatório.

Citado pelo Huffington Post, Cooper Hefner diz, numa nota escrita, que este é um "momento especial a nível pessoal e profissional", sendo um "reflexo de como a marca se pode conectar melhor com a geração actual e com as próximas".

Recommended News