Dólar fecha no menor nível desde junho de 2015

O dólar comercial encerrou esta terça-feira (14) vendido a R$ 3,096, com queda de um centavo.

A Bolsa de Tóquio fechou em alta nesta quarta-feira (15), após a presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Janet Yellen, comentar sobre a possibilidade de mais elevações de juros, gerando otimismo sobre a recuperação da economia norte-americana. A divisa acumula queda de 1,74% em fevereiro e de 4,73% em 2017.

O dólar teve sessão volátil ontem mas acabou encerrando o dia em queda de 0,48%, cotado a R$ 3,097.

Depois de alavancarem a Bolsa nos últimos pregões com a disparada do minério de ferro acima dos US$ 90, as ações da Vale operam em baixa hoje.

Janet Yellen disse que o Fed provavelmente precisará elevar a taxa de juros em uma das próximas reuniões, embora tenha indicado incerteza considerável sobre a política econômica com a administração do presidente Donald Trump.

Aqui no Brasil, o Banco Central (BC) iniciou rolagem de 6 mil dos chamados contratos de swap cambial - operação que equivalente à venda da moeda no mercado futuro e contribui para enfraquecer o dólar - com vencimento em março. Ela acrescentou ainda, durante audiência no Senado norte-americano, que adiar aumentos dos juros seria "insensato".

A nova intervenção indica que o BC não está preocupado com o nível do dólar, que vem mostrando trajetória de baixa em relação ao real diante das expectativas da entrada de recursos externos no país.

Juros mais altos nos EUA podem atrair para lá recursos atualmente aplicados em economias onde as taxas são maiores, como a brasileira. Com isso, a tendência seria de alta do dólar por aqui. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares.