Irmão de Kim Jong Un é assassinado na Malásia

Morre meio-irmão de Kim Jong-un

Morre meio-irmão de Kim Jong-un

O meio-irmão do líder da Coreia do Norte foi assassinado esta segunda-feira no aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, confirmou uma fonte do governo sul-coreano à Reuters, por duas mulheres que o terão envenenado. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker. Em 2012, a Coreia do Sul deteve um agente dos serviços secretos norte-coreanos que estaria a planear um atropelamento de Kim. À polícia disse que queria visitar a Disneyland com a família, tal como recorda o britânico The Telegraph.

Jong-nam emigrou para a China em 1995 e vivia desde então entre Pequim e Macau.


Uma fonte do gabinete do Primeiro Ministro da Malásia confirmou entretanto à BBC a morte do irmão de Kim Jong-un, adiantando que o seu corpo vai agora ser autopsiado.

Kim Jong-nam seria muito próximo do tio.


De acordo com um relatório apresentado em 2016 pelo Instituto de Estratégia de Segurança Social sul-coreano, em cinco anos de poder o líder norte-coreano terá executado 140 funcionários.

Após a detenção de Kim Jong-nam em Tóquio, as atenções se voltaram para quem seria o novo "preferido" do líder - as apostas estavam entre outros dois filhos, Kim Jong-un e Kim Jong-chol. "Um líder da Coreia do Norte precisa de ter sucesso e de resultados e, até agora, ele ainda não consegui fazê-lo". Elas seriam operárias norte-coreanas, segundo esta mesma rede de TV. Antes disso, ele chegou a ser visto como o favorito do pai, Kim Jong-il, para substituí-lo.


Nascido em 1971, Kim Jong-nam era o primeiro filho de Kim Jong-il - morto em 2011 -, fruto de um relacionamento com a atriz Song Hye-rim. Jang era visto como pessoa próxima de Kim Jong-nam antes de o "pequeno general" abandonar a Coreia do Norte.