São Paulo pagará parte de Pratto ao Grêmio; entenda o caso

Rodrigo da Silva Monteiro-Justiça determina que Atlético Mineiro passe dinheiro da venda de Pratto ao Grêmio

Rodrigo da Silva Monteiro-Justiça determina que Atlético Mineiro passe dinheiro da venda de Pratto ao Grêmio

Em 2012, ano da transferência do jogador, o valor da negociação foi de pouco mais de R$ 10,5 milhões.

O Grêmio já levou o caso à entidade máxima do futebol (FIFA). Nos próximos dias, o clube gaúcho apresentará demanda junto à CBF pedindo punição ao Atlético-MG por atraso no pagamento da transferência de Victor, que trocou Porto Alegre por Belo Horizonte em junho de 2012. "Então esse bloqueio, se de fato foi determinado, o Atlético vai interpor recurso e esperamos que seja acolhido", comenta o diretor jurídico do clube mineiro, Lásaro Cunha, ao Superesportes. Em 2015, eram 1,5 milhão de euros, ou R$ 5,2 milhões.

- Isso vai ser feito na segunda-feira. "O clube pode acionar na CBF e, caso o Atlético não pague, pode ficar dois anos sem poder contratar", disse. Nesta segunda-feira (13), o juiz Mauro Caum Gonçalves, da 17ª Vara Cível de Porto Alegre definiu que o São Paulo precisa depositar parte do dinheiro da compra do argentino Lucas Pratto junto ao Galo em uma conta dada pelo clube Tricolor de Porto Alegre. O Galo negociou 50% dos direitos econômicos do argentino por 6,2 milhões de euros (cerca de R$ 20,6 milhões).

O Grêmio rebate que cedeu Werley de graça ao clube paulista. Parecem-me que o São Paulo já fez o pagamento de uma parte da compra do Lucas Pratto. No entanto, o Grêmio não recebeu nada pelos empréstimos e ainda teve que pagar metade do salário para o clube aceitar o zagueiro.

Após receber a documentação do Grêmio, a CBF repassará à Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) que decidirá o caso.

Só que a diretoria gremista contesta tal cobrança, uma vez que os empréstimos de Werley não tiveram compensação financeira.