Andrew Puzder desiste de candidatura a secretário do Trabalho de Donald Trump

Alexander Acosta trabalhou no governo de George W. Bush- Alan Diaz  AP

Alexander Acosta trabalhou no governo de George W. Bush- Alan Diaz AP

"Retiro a minha candidatura para o posto de secretário do Trabalho", disse Andrew Puzder em um comunicado a vários meios de comunicação.

Puzder é o único indicado para o futuro Governo de Donald Trump que acabou por cair, uma humilhação para o Presidente republicano que ainda não tem a sua equipa completa, devido à oposição da oposição democrata no Senado, responsável por aprovar cada nomeação.

"Andrew Puzder tomou a decisão certa ao retirar-se", congratulou-se o senador republicano Marco Rubio.


Após a renúncia do assessor de Segurança Nacional, Michael Flynn, o governo de Donald Trump perde mais uma peça nesta quarta-feira (15).

"Ele retirou-se", confirmou o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, aos jornalistas. Para ser confirmado no cargo, Andrew Puzder precisaria de pelo menos 51 votos dos 100 senadores.

O empresário admitiu, recentemente, ter uma empregada doméstica sem autorização legal de residência há vários anos.


Além disso, foram reveladas acusações de abusos por parte de sua ex-mulher e que Puzder tinha contratado uma imigrante ilegal para trabalhar em sua casa na Califórnia. As recentes revelações recentes dissuadiram muitos republicanos de apoiá-lo.

"Nós não queremos um secretário do Trabalho que ganhe milhões, enquanto os empregados ganham apenas o suficiente para comer", afirmou o senador Bernie Sanders.