Maduro pede saída da CNN da Venezuela

Miraflores Palace  Handout via REUTERS

Miraflores Palace Handout via REUTERS

"Dou todo meu apoio para que façam justiça no caso da Odebrecht e mandem para a prisão as pessoas que receberam subornos", afirmou o presidente em um evento por ocasião do Dia da Juventude na Venezuela.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu ao Ministério Público e à Justiça venezuelana neste domingo (12), que prendam as pessoas que receberam propinas da construtora Odebrecht no país.

"Os corruptos que fogem desse país vão para os 'United States' e se declaram perseguidos políticos".

Maduro acusou a emissora de manipular informações em um plano apoiado pelos Estados Unidos para retirá-lo do poder.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse que os responsáveis devem ser punidos, mas seus críticos dizem que seu governo tem sido lento para responder ao escândalo. "Não quero mais atrasos, tenho os recursos para retomar de maneira acelerada todas as obras", enfatizou. Por sua parte, o Parlamento venezuelano - de maioria oposicionita - aprovou na semana passada a investigação do caso.

Segundo a agência noticiosa espanhola Efe, a Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel), entidade estatal da Venezuela, abriu, esta quarta-feira, um "processo administrativo punitivo" contra a CNN, por "presumivelmente" atentar "contra a paz e a estabilidade democrática" do país.