Atlético-PR encara Deportivo Capiatá na Libertadores

Arena da Baixada foi palco de quatro jogos da Copa de 2014

Arena da Baixada foi palco de quatro jogos da Copa de 2014

Na Arena de Baixada, em Curitiba, o time rubro-negro empatou por 3 a 3, após estar duas vezes na frente, no primeiro jogo da terceira fase da Copa Libertadores. Mas apenas cinco minutos depois, o Atlético-PR buscou o empate. Mesmo assim foi o jogador da noite, com dois gols. "Isso tudo vai nos fortalecer para toda a temporada", comentou Paulo Autuori. Lógico que eu me sinto confortável jogando pelos lados do campo, ele também sabe. O time paraguaio já parecia à vontade no gramado da Arena. Weverton era acionado e, mesmo assim, era obrigado a despachar a bola para a frente.

O Furacão tinha maior posse de bola, mas dificuldade para criar. Gedoz, logo no início, cobrou direto do lado esquerdo e acertou a trave. Para o camisa 10, os tentos tiveram um gosto especial, pois foram os primeiros dele como profissional do Brasil.

O empate saiu com a bola perdida no meio atleticano e no contra-ataque rápido do adversário. Aos 13 minutos, Pablo e Nikão trocaram passes na entrada da área, mas antes do último passe a defesa apareceu para afastar.

Sidcley fecha a linha, Pablo não acompanha e atleta do Capiatá-PAR aparece livre nas costas da zaga. Na segunda etapa, o Atlético-PR sofreu, e o Capiatá virou o placar já nos primeiros minutos. Após cobrança de falta pela esquerda, Paredes tocou para o meio e Néstor González, em posição duvidosa, marcou. No pênalti, o camisa 10 bateu forte e alto para empatar, quatro minutos depois. Paredes fez falta dura em Grafite e foi expulso.

Era o cenário que precisava para acontecer a virada. Com um homem a mais Autuori procurou dar mais velocidade ao time e colocou João Pedro na vaga de Lucho. Gedoz, com o pé lesionado, foi substituído por Matheus Rosseto. "É fundamental fazer um bom resultado dentro de casa para ter mais tranquilidade no jogo de volta", disse. Com o resultado, o Furacão precisa de uma vitória simples, mas os paraguaios têm a vantagem de poder empatar em até 2 a 2. Além disso, abusava da catimba para diminuir o ímpeto do rival aos olhos da arbitragem, que nada fazia. Pouco tempo depois, aos 7 minutos, o Capiatá chegou ao gol da virada na Arena da Baixada, preocupando o torcedor do Furacão. Grafite, um pouco antes, já havia perdido uma chance em lance parecido. "No jogo de volta, se tivermos vantagem, podemos jogar mais tranquilos", avaliou o volante Otávio. Aos 20 minutos, Pablo tentou mandar a bola para longe e acabou lançando Grafite, que foi derrubado pelo zagueiro González na entrada da grande área do Capiatá.

O gol embalou o Atlético-PR, que se tornou mais ofensivo. A partida ainda teve mais um gol de cada lado. "Não tem que lamentar nada". "Erramos onde normalmente não costumamos errar". Falhar em situações como essas não são situações fáceis porque o gol vale muito nesta fase.

A partida de volta está marcada para a próxima quarta-feira (22), às 21h45, no Paraguai. Sobre os gols, não tem sentimento que pague esses dois gols.