Polícia confirma que ônibus do Borussia era mesmo alvo do ataque — Dortmund

Investigação Polícia alemã investiga explosões em Dortmund A carta, segundo a imprensa, começa com referências a ...

Investigação Polícia alemã investiga explosões em Dortmund A carta, segundo a imprensa, começa com referências a ...

As explosões quebraram os vidros do veículo e deixaram o zagueiro Bartra ferido. O incidente aconteceu minutos antes da partida entre a equipe alemã e o Monaco, pelas quartas de final da Champions League. Ele passou por uma cirurgia. Segundo o clube, o atleta fraturou um osso do punho direito e também precisou retirar detritos que ficaram alojados em sua mão após as explosões. Todos os que o conseguiram mandaram-se para o chão.

"Eu estava sentado junto ao Bartra na fila única do ônibus".

As explosões ocorreram na rua Wittbräucker Strasse, no sul da cidade de Dortmund.

A polícia informou que as cargas explosivas, provavelmente, estavam escondidas em um arbusto.

As autoridades do governo da Alemanha admitiram que tratam o caso como um atentado terrorista. "Estamos nos preparando para isso há muito tempo".

Citando fontes policiais, a agência noticiosa alemã DPA avançou, ao início da noite, que, neste ponto da investigação, não existe "qualquer elemento" que sugira que o ataque ao autocarro em que seguia a equipa alemã teve origem terrorista. "Investigamos com muito profissionalismo". Até o momento, as autoridades têm duas linhas de investigação: a primeira sobre uma carta deixada próxima ao local do ataque. Segundo ela, o autor "assume a responsabilidade pelos atos" na mensagem, cujo conteúdo não foi divulgado. Na carta é reivindicada a autoria do ataque, mas a polícia ainda não conseguiu confirmar a autenticidade da mesma.

A Alemanha também reforçou consideravelmente as medidas de segurança para as partidas da Liga dos Campeões previstas para esta quarta-feira no país. A polícia comunicou que a segurança será reforçada. "E vamos jogar por Bartra, que quer ver seu time vencer", afirmou, também em coletiva, o chefe executivo do Dortmund, Hans-Joachin Watzke. "Desejamos a ele uma rápida recuperação".

De acordo com a revista Focus, a nota, publicada online num portal anti-fascista, diz que o ataque foi uma retaliação pela atitude suave do Borussia Dortmund face aos adeptos racistas e neonazis.

O incentivo parece ter tido resultado. "Ele estará de dedos cruzados torcendo para o Borussia", escreveu o clube nas redes sociais.

"Meus pensamentos estão com o time. Estamos esperando por detalhes do incidente", afirmou.

"Como os habitantes de Dortmund e milhões de pessoas, a chanceler está horrorizada com este este ataque contra o ônibus do BVB", declarou o porta-voz de Merkel. "Hoje estamos todos com o Borussia Dortmund", disse.

Por sua parte, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, elogiou a reação de ambos os clubes.