Juiz não cita na súmula o elogiado aviso de Rodrigo Caio

Jô elogia Rodrigo Caio, que admitiu pisão no goleiro Renan

Jô elogia Rodrigo Caio, que admitiu pisão no goleiro Renan

"Prefiro a mãe dos meus adversários chorando do que a minha", afirmou o jogador em entrevista coletiva ontem.

Na Copa Verde de 2017, as atitudes como a de Rodrigo Caio são reconhecidas por meio do Cartão Verde, novidade do torneio com o intuito de premiar ações a favor do jogo limpo. E o assunto principal do bate-papo com jornalistas não poderia ser outro: o ato de fair play protagonizado pelo zagueiro Rodrigo Caio, que evitou que o atacante levasse cartão amarelo.

Renan Ribeiro; Araruna (Thomaz), Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes e Cueva; Wellington Nem (Cícero), Lucas Pratto e Luiz Araújo (Gilberto). No entanto, segundos depois da advertência, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira cancelou o cartão.

O primeiro foi justamente o atacante do Timão, autor do primeiro gol neste domingo. "Cada um com sua consciência", disse Rodrigo Caio após a derrota. O Tite cobrava muito para os jogadores não serem malandros e, em um clássico, em que cada um estava buscando o seu, ele teve uma atitude muito legal.

O próprio Rodrigo Caio não quis se alongar, mas foi elogiado pelos corintianos. O futebol precisa disso. O Rodrigo foi exemplo para muitas crianças, não se ele tem filhos, mas vai servir para sobrinhos, crianças de hoje em dia. "Fiz apenas o que deveria ser feito". "Só falei que eu tinha pisado no Renan, que não tinha sido o Jô. Ele está de parabéns, é um menino bom, fez o jogo do fair play, como todos fazem em uma partida", ponderou o treinador, preferindo não se colocar no lugar de seu comandado quando perguntado sobre se teria a mesma atitude: "Não posso te responder essa pergunta porque eu não jogo mais". O São Paulo apoiou a decisão de Rodrigo Caio. A gente conversou antes do treino e procurei frisar que essa atitude nos responsabiliza muito. "Acho louvável, bacana, corretíssimo e tem que servir de exemplo para todo mundo, inclusive para a sociedade de um modo geral, mas eu acho que não faria, não", confessou.