Joana Vasconcelos inaugura terço gigante em Fátima

FacebookTwitter

FacebookTwitter

"Lançamos o desafio à Joana Vasconcelos para uma obra que marcasse o Centenário das Aparições", relatou, falando "num desafio fora do comum". Ou, por exemplo, um carro, que é uma figura já interpretada por vários artistas.

A tradição começou quando Osmar foi ao Rio de Janeiro, em 1997, para assistir às comemorações da visita do papa João Paulo II.

Joana Vasconcelos afirmou na conferência de imprensa realizada no Santuário de Fátima que a peça "tem a ver com esta relação entre o céu e a terra e a luz" que ilumina o caminho, algo que será posto em prática quando o terço se iluminar com a chegada do Papa. "À noite faz um efeito que só existe em Fátima".

O terço gigante, da autoria de Joana Vasconcelos, que foi apresentado esta terça-feira no Santuário de Fátima, está a gerar polémica, havendo mesmo quem acuse a artista de cópia. A peça, denominada "Suspensão", feita de contas brancas, tem 26 metros e vai ser iluminada pela primeira vez na noite de 12 de maio, quando o papa Francisco entrar no recinto do santuário para, com os milhares de peregrinos aí presentes, se preparar para rezar o terço.

Mas afinal qual é a história do terço gémeo do que foi inaugurado em Fátima? Para o instalar pediu ajuda à corporação de bombeiros local. O tema abordado no terço deste ano, foram os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Em 2013, foi iluminado com duas mil lâmpadas LED (que também serão utilizadas por Joana Vasconcelos) azuis e brancas. "Então vim com um ciclomotor até Fátima e fiz daí uma peça que é um altar e que é também um vídeo dessa minha peregrinação, onde testemunhei toda a experiência de vida de uma peregrinação, das pessoas, o porquê", declarou, explicando que, desde essa obra, a sua visão sobre Fátima mudou e toda a sua "vida a partir daí teve uma outra perspetiva".