Terço de Joana Vasconcelos ganha luz com a chegada do Papa

Suspensao2017_01_resultado

Suspensao2017_01_resultado

Na conferência de imprensa realizada na manhã desta terça-feira, 2 de maio, no Santuário de Fátima, o reitor do local de culto, Carlos Cabecinhas, destacou a particularidade do desafio em conceber uma obra assim, uma vez que esta se projeta "à escala do recinto de oração", que é "muito grande".

Para Joana Vasconcelos não há a mínima hipótese de se falar em "cópia", já que é a mesma coisa que dizer que "o coração de Viana é uma cópia".

"Aquilo é um terço pequenérrimo feito de esferovite". "Neste caso, é um terço e há vários artistas a representar terços".

O Santuário de Fátima informa que o Papa Francisco vai ser acolhido por crianças das três escolas católicas da região quando chegar à Capelinha das Aparições na tarde de 12 de maio. "À noite faz um efeito que só existe em Fátima", explica.

O terço gigante de Joana Vasconcelos - uma obra chamada 'Suspensão' - foi inaugurado ontem, no Santuário de Fátima.

O português, que será iluminado pela primeira vez na noite de 12 de maio, perante o Papa, tem 26 metros e é feito de contas brancas.

Joana Vasconcelos referiu que a peça "tem a ver com esta relação entre o céu e a terra e a luz" que ilumina o caminho, adiantando ter "muito gosto" em poder fazer parte do centenário, "deste momento tão importante para Portugal e para os portugueses, e poder colaborar nesta mensagem de paz". Em 1998, um médico ginecologista e obstetra, decidiu erguer um terço suspenso em duas palmeiras junto ao Convento da Penha, na cidade brasileira de Vila Velha. "Então vim com um ciclomotor até Fátima e fiz daí uma peça que é um altar e que é também um vídeo dessa minha peregrinação, onde testemunhei toda a experiência de vida de uma peregrinação, das pessoas, o porquê", declarou, explicando que, desde essa obra, a sua visão sobre Fátima mudou e toda a sua "vida a partir daí teve uma outra perspetiva".