Cantor português Salvador Sobral vence Festival Eurovisão

Eurovisão: o tom europeu do 62° Festival

Eurovisão: o tom europeu do 62° Festival

Quando subiu ao palco pela primeira vez como candidato a representar Portugal na Eurovisão, muito poucos foram os que acreditaram que Salvador Sobral chegaria à final do concurso que hoje se disputa em Kiev, na Ucrânia.

"Amar pelos dois", composta por Luísa Sobral, venceu a 06 de março a final do Festival da Canção, que decorreu no Coliseu dos Recreios em Lisboa e foi disputada por oito canções. Desde 1964, é a primeira vez que Portugal vence o concurso. Esta probabilidade tem em conta as probabilidades atribuídas por 14 casas de apostas.

Na votação do júri, Salvador Sobral recebeu a pontuação mais alta, 12 pontos, de Suécia, São Marino, Letónia, Israel, Espanha, França, Lituânia, Arménia, Islândia, Sérvia, Suíça, Holanda, Geórgia, Hungria, Eslovénia, Polónia, Reino Unido e República Checa.

Hoje todas as atenções voltam a estar centradas em Salvador Sobral, que de uma coisa se pode orgulhar: já fica para a história da Eurovisão, tendo a sua prestação sido a que mais audiências registou na RTP desde que a seleção nacional se sagrou campeã da Europa, no ano passado.

O cantor brasileiro Caetano Veloso manifestou no Facebook a sua preferência por uma vitória de Salvador Sobral no festival da Eurovisão, num vídeo que publicou na rede social.

Salvador Sobral alcançou a melhor classificação de sempre, superando o resultado de Lúcia Moniz - o sexto lugar - em 1996. A cadeia de televisão russa Perviy Kanal anunciou na quinta-feira que não irá emitir o concurso devido à interdição. O concurso, realizado em Kiev, na Ucrânia, proibiu a participação da artista russa Yulia Samoilova por considerar que ela teria violado a legislação nacional.