Abuso de crianças e adolescentes é tema de ação do Creas

Violência sexual contra crianças e adolescentes é combatida por diversas ONGs brasileiras- Bárbara Lopes  Agência O Globo

Violência sexual contra crianças e adolescentes é combatida por diversas ONGs brasileiras- Bárbara Lopes Agência O Globo

Das vítimas, 67,69% são meninas, enquanto 16,52% são meninos.

O objetivo do evento é reunir e alinhar as autoridades e a sociedade para a importância de uma campanha intensa e permanente ao combate à violência sexual contra a criança e o adolescente.

Hoje é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças.

A Prefeitura de Água Branca, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania, está realizando uma campanha em alusão ao Dia Nacional de Combate a Exploração Sexual de Crianças, que acontece na próxima quinta-feira, 18 de maio. A menina Araceli Cabrera Sanches, então com oito anos, foi sequestrada em 18 de maio de 1973, drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba, e mesmo com muita gente acompanhando o andamento do caso, desde o momento em que a criança entrou no carro dos assassinos até o aparecimento do seu corpo, desfigurado pelo ácido, em uma movimentada rua da cidade de Vitória, todos se calaram, decretando a impunidade dos criminosos. Na ocasião, a psicóloga Ana Brasil, da Secretaria de Educação, ministrou uma palestra sobre identificação dos indícios de violência contra crianças e adolescentes.

A programação será desenvolverá em sua maior parte no Centro da Juventude.

Entre as denúncias, 72% foram de abuso sexual e 20% de exploração sexual. Elas participarão de oficinas para discutir o enfrentamento à violência sexual infanto-juvenil em diferentes linguagens: acrobacia, aéreos, dança, teatro, graffiti, capoeira, música e etc. Na sexta-feira (19), o CEDECA irá lanças uma cartilha sobre violência sexual que em breve terá versões impressa e virtual para chamar atenção para os serviços de proteção e garantia de direitos.

São Luís (MA) também terá atividades de sensibilização nas escolas, blitz e panfletagem nas comunidades, terminando com uma corrida coordenada pelo Ministério Público.

No ano de 2016, Medianeira teve 32 casos de abuso e exploração sexual notificados.

De acordo com Dináurea Cheffins, vice-presidente de Recursos Humanos da Atlantica, ajudar a proteger crianças e adolescentes é um dever de toda a sociedade. As concessionárias CCR ViaOeste e CCR RodoAnel, ao longo deste mês, distribuirão 30 mil folhetos sobre o tema nas praças de pedágio do Sistema Castello-Raposo e Trecho Oeste do Anel.