Bandeira tarifária nas contas de luz será verde em junho

Após reduzir tarifas da Cemig, Aneel anuncia bandeira verde para junho

Após reduzir tarifas da Cemig, Aneel anuncia bandeira verde para junho

A bandeira tarifária que será aplicada nas contas de luz no mês de junho será a verde, o que significa que não haverá custo extra para o consumidor.

Desde abril, a bandeira era vermelha, o que representa um acréscimo de R$ 3 a mais para cada 100 quilowatts-hora (kWh) de consumo.

Segundo a Aneel, os fatores que contribuíram para o retorno da bandeira verde foram a maior afluência das vazões que chegaram aos reservatórios das hidrelétricas em maio de 2017 e a perspectiva de redução do consumo de energia elétrica.

As contas de luz terão bandeira verde no mês de junho. Segundo o relatório do Programa Mensal de Operação (PMO) do Operador Nacional do Sistema (ONS), o valor da usina térmica mais cara é de R$ 155,85/MWh, o que indica bandeira verde. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade.

O aumento do nível dos reservatórios nas usinas hidrelétricas do país, devido as fortes chuvas de maio, possibilitaram que a chamada bandeira tarifária do próximo mês seja verde.

Entre os dias 1º e 23 de maio, o consumo de energia elétrica no País recuou 0,4% em relação a igual período do ano passado, passando de 58.786 MW médios para 58.557 MW médios, segundo dados preliminares da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). E, nos dois últimos meses, a bandeira foi vermelha, no primeiro patamar.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o uso consciente da energia elétrica. Nesse caso, a bandeira fica amarela ou vermelha, de acordo com o custo de operação das termelétricas acionadas.