Explosão de carro fere ex-premier grego em Atenas

Thanassis Stavrakis  AP

Thanassis Stavrakis AP

O antigo primeiro-ministro grego, de 69 anos, está a ser tratado a ferimentos no abdómen e na perna direita provocados pela explosão de um carta armadilhada. O KataEkathimerini concretiza: Papademos foi levado para o hospital Evangelismos.

A explosão ocorreu no centro de Atenas, capital da Grécia, e a sua autoria ainda não foi reivindicada.

Ninguém reivindicou o ataque até o momento. Mas, habitualmente, o método de cartas armadilhadas é usado por forças anarquistas gregas.

O Governo grego já reagiu ao caso. Os três permanecem "em condição estável, conscientes e a realizarem todos os exames médicos necessários".

Papademos foi premier entre 2011 e 2012.

O governador do Banco da Grécia, Yannis Stournaras, também esteve com Papademos, manifestando-se contra o "ataque covarde". Só em março, por exemplo, a polícia grega encontrou oito encomendas suspeitas em Atenas, de onde terão também partidos os envelopes com explosivos que nesse mês feriram uma funcionária dos gabinetes parisienses do Fundo Monetário Internacional (FMI), assim como outros que foram intercetados dias depois no edifício do Ministério das Finanças da Alemanha, ao cuidado de Wolfgang Schäuble, uma das mais severas figuras europeias na resposta à crise económica grega. "O meu trabalho não será fácil mas estou convencido de que os problemas serão resolvidos de forma eficiente, caso haja unidade e consenso", disse, depois de tomar posse.