Movimento extremista Estado Islâmico reivindica duplo atentado suicida na Indonésia

Explosão de homem-bomba na Indonésia deixa um policial morto

Explosão de homem-bomba na Indonésia deixa um policial morto

Dois bombistas suicidas fizeram explodir-se na quarta-feira, na rua, em frente ao terminal de transportes Kampung Melayu, situado na capital da Indonésia.

As explosões criaram pânico e as pessoas fugiram do local enquanto enormes nuvens de fumaça apareciam.

A polícia anunciou nesta sexta-feira a detenção de três pessoas suspeitas de relação com o ataque na cidade de Java. Os dois autores do atentado também morreram.

Vários civis e polícias ficaram feridos e foram transportados para o hospital, indicam as autoridades.

Os investigadores acreditam que a polícia era o alvo.

Segundo o porta-voz da polícia nacional, Setyo Wasisto, houve duas explosões de dois homens-bomba.

Analistas citados pela agência noticiosa France Presse (AFP) consideraram a reivindicação credível, estimando que o Jamaah Ansharut Daulah (JAD), grupo que jurou lealdade ao EI, esteja por detrás do ataque.

A Indonésia iniciou sua própria "guerra contra o terrorismo" após os atentados de Bali em 2002 (202 mortos, incluindo muitos estrangeiros).

Mas o grupo Estado Islâmico conseguiu mobilizar recentemente os extremistas indonésios.

Nos últimos anos, foram registrados pequenos atentados no país.

Em Janeiro de 2016, quatro terrorista lançaram um ataque no centro de Jacarta, que provocou oito mortos.