Nadal e Djokovic podem se enfrentar nas semifinais de Roland Garros

O sérvio Novak Djokovic durante final do Masters 1000 de Roma dia 21 de maio de 2017 em RomaMais

O sérvio Novak Djokovic durante final do Masters 1000 de Roma dia 21 de maio de 2017 em RomaMais

O sérvio, que perdeu para Zverev por 6-4 e 6-3 em Roma, disse que se juntaria ao octacampeão do grand slam Agassi, enquanto se prepara para defender seu título em Roland Garros.

Djokovic fez questão de exaltar a qualidade de Andre Agassi como jogador, já que o tenista é considerado um dos maiores de todos os tempos. Vamos apenas tentar nos conhecer um pouco melhor em Paris. "[Agassi] não estará em todo o torneio, só até determinada fase".

Mais cedo este mês o ex-número um do mundo se separou de seu técnico Marian Vajda, assim como do treinador físico Gebhard Phil Gritsch e o fisioterapeuta Miljan Amanovic. O tenista lembrou ainda que o treinador escolhido já passou por tudo o que ele está agora a passar e que, por isso, está confiante nesta parceria.

"Gostei da conversa que tivemos. É muito humilde e pode acrescentar muito na minha vida, dentro e fora das quadras", acrescento Djokovic.

Djokovic revelou ainda que, depois da separação da sua anterior equipa técnica, falou com Andre Agassi "um par de semanas por telefone" e que viu Agassi empenhado em dar um novo passo na sua vida e na sua carreira enquanto treinador.

"O Andre é alguém por quem eu tenho um grande respeito, tanto pela pessoa quanto pelo jogador".

O torneio de Roland Garros, um dos quatro Grand Slams do tênis, começa no próximo dia 28 de maio.

O atleta de Belgrado informou ainda que em Paris também será acompanhado pelo seu irmão Marko que esteve no banco consigo nos torneios de Madrid e Roma.