Governo reabre candidatura para Agência Europeia do Medicamento

Grupo de trabalho para levar EMA ao Porto depende de Lisboa

Grupo de trabalho para levar EMA ao Porto depende de Lisboa

"Esta decisão prova que, como eu e o PS Porto acreditámos, valia a pena fazer ouvir os nossos argumentos e que os nossos argumentos poderiam fazer com que o Governo recuasse na decisão anterior e considerasse a candidatura da cidade do Porto", disse, na tarde deste sábado.

Contra a opção centralista do governo, os eurodeputados do PSD Paulo Rangel e José Manuel Fernandes decidiram lançar uma campanha para travar a decisão do Governo e incluir as cidades de Porto e Braga na corrida à sede da Agência Europeia do Medicamento.

"É preciso que todos se juntem para que Portugal ganhe, porque isso é que é importante", acrescentou, em declarações aos jornalistas na Póvoa de Varzim, alertando para a necessidade de o acordo partidário ser "rápido", porque está em causa uma "luta muito difícil", com "hipóteses limitadas", pelo que importa não as tornar "impossíveis".

"Na primeira ocasião, havia uma posição unânime". É natural que os partidos mudem de opinião e tenham entretanto aparecido outras hipóteses no quadro da descentralização. Os partidos devem estabilizar a opinião e escolher a localidade portuguesa que tem melhores hipóteses de ganhar. Se é a que tinham, se é outra e qual: Porto ou Braga. "Depois, que definam por consenso, para um não defender uma coisa e outro defender outra", pediu Marcelo Rebelo de Sousa. "Ficar claro a que tem melhores hipóteses para ganhar e, depois, todos juntarem-se para que Portugal ganhe, porque isso é que é importante", vincou.

"Neste contexto, o Governo tomou a iniciativa de contactar a Câmara Municipal do Porto para que a cidade se associasse, no âmbito da Comissão de Candidatura Nacional, ao processo de avaliação que irá decorrer à luz dos critérios oficiais definitivos", lê-se na nota.

Em comunicado, o Ministério da Saúde explica que "tendo em conta os requisitos já conhecidos, só o Porto, a par de Lisboa, parece reunir condições para uma candidatura muito exigente e competitiva em termos europeus".

A atual sede da Agência Europeia do Medicamento é em Londres, mas a saída do Reino Unido da União Europeia, resultará na deslocação da mesma para um dos restantes 27 Estados-membros.

A reabertura do processo de candidatura de Portugal, de modo a incluir também o Porto, pretende, segundo o Governo, "gerar soluções alternativas qualificadas, promotoras de uma única candidatura nacional, forte e afirmativa em termos europeus".