Margarida Marques foi convidada a sair do Governo em maio

“Não pedi a demissão”: Secretária de Estado dos Assuntos Europeus não esperava remodelação

“Não pedi a demissão”: Secretária de Estado dos Assuntos Europeus não esperava remodelação

A saída da secretária de Estado dos Assuntos Europeus, que se concretizou ontem, estará ligada a mal-estar entre alguns membros do corpo diplomático.

Natural do Bombarral, 63 anos, licenciada em Matemática, Margarida Marques tem uma relação muito antiga com António Costa, dos tempos da JS, organização que liderou entre 1981 a 1984.

Em declarações à Lusa, a ex-governante frisou que mantém uma "relação de grande cordialidade" com António Costa e com o ministro dos Negócios Estrangeiros, mas negou ter pedido para sair, ao contrário do que alguma imprensa avançou ontem. Ao nível europeu existia tensão entre Margarida Marques e elementos da Comissão Europeia.

Contudo, a responsável defendeu que o atraso "não é preocupante" e Portugal não está a incorrer em multas ou sanções.

Só que, quando se chegou às questões práticas do processo de decisão, de acordo com o relato feito ao PÚBLICO por um membro do Governo, Margarida Marques terá apresentado como um dos critérios de candidatura a necessidade de a cidade ter condições de albergar uma escola europeia e que a EMA só por si não garantia o número de funcionários que permitissem a abertura de tal instituição destinada à formação de funcionários e dos seus filhos.

“Não pedi a demissão”: Secretária de Estado dos Assuntos Europeus não esperava remodelação

Terá sido essa a razão pela qual o Governo optou, num primeiro momento, por escolher Lisboa como candidata.

Após a demissão de três secretários de Estado - Fernando Rocha Andrade (Assuntos Fiscais), Jorge Costa Oliveira (Internacionalização) e João Vasconcelos (Indústria) - na sequência do caso das viagens pagas pela Galp para assistirem a jogos de futebol do Euro2016, o primeiro-ministro aproveitou para efetuar mexidas em cinco ministérios e criar uma nova Secretaria de Estado, da Habitação, que terá como titular a arquiteta Ana Pinho.

Questionada sobre se sente alguma frustração por interromper o trabalho, mostrou-se confiante que a sua sucessora, a embaixadora Ana Paula Zacarias, vai "continuar o trabalho".

"Estou segura de que esta continuará a ser a estratégia deste Governo", conclui Margarida Marques, que vai ocupar o lugar de deputada no Parlamento para o qual foi eleita como cabeça-de-lista pelo distrito de Leiria.

A saída "caiu como uma bomba dentro do PS", refere o Sol, notando que entre os socialistas há quem considere que o caso ilustra a "frieza" de António Costa. "A relação do ministro dos Negócios Estrangeiros com todos os secretários de Estado foi e é excelente", afirmou o chefe da diplomacia portuguesa, que vê sair dois dos quatro secretários de Estado do seu ministério.