Votos a favor de Temer somam R$ 134 milhões em emendas

Wadih Damous é primeiro a chegar à sessão da CCJ que discutirá denúncia contra Temer

Wadih Damous é primeiro a chegar à sessão da CCJ que discutirá denúncia contra Temer

Ao todo, 40 deputados votaram a favor de Temer.

Emendas parlamentares são valores previstos no Orçamento e sua aplicação é definida pelo parlamentar que as recebe, desde que obedecidos critérios como o uso exclusivo em projetos e obras nos estados e municípios. O valor de emendas empenhadas para ele em junho?

O deputado que mais obteve recursos para suas iniciativas foi Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), justamente o escolhido para ser o novo relator da denúncia contra Temer após a rejeição do parecer de Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que era favorável ao prosseguimento do processo. O tucano recebeu R$ 5,1 milhões em emendas no mês passado.

Assim como outros integrantes da base, o ministro afirmou que cabe à oposição dar o quórum de 342 deputados para que a denúncia seja votada no dia 2 de agosto, como ficou estabelecido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O valor total: R$ 134 milhões às vésperas de uma das votações mais importantes para o Planalto. "Nenhuma resposta há sobre qualquer uma dessas indagações", disse. Em segundo e terceiro lugares estão os deputados Beto Mansur (PRB) e Carlos Marun (PMDB), ambos com R$ 5 milhões. Mansur ganhou uma vaga na CCJ dois dias antes da votação, em manobra promovida pelos aliados do Planalto. Apenas o PMDB, partido de Temer, recebeu R$ 284,2 milhões. Vice-líder do governo, Mansur entrou no lugar de Lincoln Portela (PRB-MG). Somente em junho, foram R$ 2,02 bilhões, empenhados para parlamentares de 27 partidos e bancadas estaduais.

Para efeito de comparação, entre janeiro e maio, o governo liberou, ao todo, pouco mais de R$ 102 milhões a todos os parlamentares. Já as bancadas do Maranhão, Rio Grande do Norte e Roraima tiveram empenhados R$ 220,4 milhões e contabilizaram seis votos a favor de Temer na CCJ.

Por 41 votos, sendo uma abstinência, a 24, o colegiado garantiu uma primeira vitória a Temer no Congresso.