Ordem dos Médicos abre inquérito a declarações sobre homossexuais — Gentil Martins

Homossexualidade Declarações de Gentil Martins

Homossexualidade Declarações de Gentil Martins"não foram muito felizes

E responsabiliza Dolores Aveiro: "Toda a gente tem direito a ter mãe".

Depois de ter causado polémica ao chamar "estupor moral, que não pode ser exemplo para ninguém" a Cristiano Ronaldo, o médico Gentil Martins respondeu reiterando que nunca quis ofender a mãe do jogador português.

João Semedo não tem dúvidas sobre as polémicas declarações de Gentil Martins.

Pede desculpa à mãe de Ronaldo, mas mantém a sua opinião acerca da homossexualidade. "Para que o mundo exista tem de haver homens e mulheres", disse ao Expresso, adiantando que não deixa de tratar um doente por ser homossexual, mas não aceita promover a orientação sexual.

"É degradante, uma tristeza. Como os sadomasoquistas ou as pessoas que se mutilam", referiu.

O ex-deputado do Bloco de Esquerda destaca ainda que "é conhecido que, há muito, a OM defende não ser a homossexualidade nem doença nem desvio de personalidade". Depois de, ontem, ter dito ao 'Expresso': "Penso que uma das grandes culpadas disto é a mãe dele".

O bastonário da OM, Miguel Guimarães confirmou no sábado ao Observador - que noticiou abertura do inquérito - que "duas médicas já comunicaram que vão fazer queixa na Ordem" e, portanto, "o caso vai ter de ser analisado pelos órgãos competentes". "Aquela senhora não lhe deu educação nenhuma". A deputada do PS Isabel Moreira apelou no Facebook a uma denúncia na Ordem dos Médicos, considerando que as declarações de Gentil Martins relativamente à homossexualidade "violam a deontologia médica e têm consequências negativas, graves, gravíssimas". "Não estamos perante o simples exercício do inatacável direito à liberdade de pensamento e opinião (.) Gentil Martins, não se limitou a exprimir uma opinião contrária à posição da OM e errada do ponto de vista médico e científico".