Parecer sobre denúncia contra Temer será lido na Câmara em agosto

Temer declara guerra a Globo

Temer declara guerra a Globo

A Câmara dos Deputados adiou nesta segunda-feira (17), pela segunda vez consecutiva, a leitura no plenário do parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que recomenda a rejeição da denúncia contra o presidente da República, Michel Temer.

O site do 342 Agora disponibilizou uma ferramenta para que a população envie e-mails para os três grupos de deputados (os que são contra a denúncia, os que a apoiam e os indecisos) clicando em apenas um link.

Na sexta-feira (14), já havia sido feita uma primeira tentativa para ler o parecer, mas somente 19 parlamentares estavam presentes. Como o Congresso Nacional entrará em recesso a partir desta terça-feira, 18, ele só poderá agora ser lido em 1º de agosto, quando os parlamentares retomam as atividades legislativas.

O regimento determina que, após a leitura no plenário, o parecer será publicado no "Diário Oficial da Câmara", e o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), será notificado para que possa incluir a denúncia na pauta de votação.

Para que a denúncia seja aceita, em votação que ocorrerá no dia 2 de agosto, os deputados em Plenário precisam rejeitar o relatório elaborado na CCJ por um parlamentar do PSDB pertencente à base aliada de Temer.

O número foi uma exigência de Maia, sob a alegação de que o resultado da votação poderia ser contestado no Supremo Tribunal Federal (STF) se ocorresse com um quórum menor.

Uma das vantagens de não votar a denúncia em agosto, apontam os governistas, seria aguardar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentar uma nova acusação formal contra o presidente e poder votá-las em conjunto em uma mesma sessão.