Enfermeiro é acusado de matar 84 pacientes com overdoses na Alemanha

Enfermeiro alemão assassinou pelo menos 84 pacientes

Enfermeiro alemão assassinou pelo menos 84 pacientes

Um enfermeiro alemão, condenado em 2015 pela morte de dois pacientes, é agora suspeito de ter matado pelo menos 90 pessoas, informaram esta segunda-feira as autoridades alemãs.

"São 84 homicídios. Estamos sem palavras", disse Kuehme em uma coletiva de imprensa.

"Este número (de mortos) é excepcional, único, na história da República Federal da Alemanha", acrescentou, anunciando que a comissão de investigação especial "Kardio" responsável pelo caso havia concluído seu trabalho.

Niels Hoegel, de 40 anos, foi condenado em 2015 a prisão perpétua pela morte de duas pessoas e várias tentativas de homicídio num hospital em Delmenhorst, perto da cidade de Bremen, no noroeste da Alemanha. A polícia vai agora investigar os antigos funcionários das clínicas onde Hoegel trabalhou. Segundo o procurador Daniel Schiereck-Bohlemann, Högel já admitiu ter responsabilidades em 30 mortes.

O enfermeiro matava os pacientes com recurso a overdoses medicamentosas. No entanto, procuradores agora acreditam que ele matou muito mais pessoas.

Os interrogadores pensam que o suspeito pode estar ligado a mais mortes, depois de terem descoberto os restos de 134 pessoas com ligações ao enfermeiro.

O caso surgiu em 2005, quando foi surpreendido por um colega quando se preparava para dar uma injeção não prescrita a um paciente numa clínica em Delmenhorst, o que o levou a uma primeira condenação por tentativa de homicídio em 2008.