UEFA vai investigar PSG — Fair play financeiro

Getty  Aurelien Meunier

Getty Aurelien Meunier

Nesta investigação a entidade avaliará se o clube respeitou as regras de equilíbrio. Porém, em 2015, o texto foi reformado e passou a aceitar a presença de investidores. O próprio PSG, o Manchester City e o Chelsea, financiado com bilhões por seus donos, inspiraram a mudança. Nesta semana o PSG anunciou ainda a contratação do jovem atacante francês Kylian Mbappé, comprado do Monaco por 180 milhões de euros (R$ 671 milhões).

O clube de Paris pagou ao Barcelona 222 milhões de euros por Neymar.

Nos próximos meses, a Uefa avaliará toda a documentação das recentes transações do PSG.

"A UEFA considera o Fair Play Financeiro um mecanismo de governação crucial, que procura manter a sustentabilidade dos clubes de futebol europeus", acrescenta o organismo que tutela o futebol europeu.

Enquanto a "investigação decorrer, a UEFA não fará mais comentários". "A Uefa abriu procedimento formal de investigação sobre o Paris Saint-Germain como parte do atual monitoramento das regulações de fair play financeiro nos clubes". Além disso, afirma que está confiante em demonstrar que "vai cumprir plenamente todas as regras do Fair Play para o ano fiscal de 2017/18".

Ainda de acordo com o comunicado, o PSG publicou que sempre operou com total transparência, demonstrando muito respeito com as regras da Uefa. Inicialmente, ele foi contratado por empréstimo, mas com a possibilidade de compra por 188 milhões de euros (R$ 699 milhões) a partir de 2018.

O Paris Saint-Germain esclarece também que realizou algumas operações com jogadores no mercado de verão de 2017, possibilitando um incremento de € 104 milhões (R$ 384 milhões) para a temporada 2017/18.