China faz promessas ao presidente Michel Temer

Em fórum do Brics, Michel Temer diz que não há espaço para improvisos

Em fórum do Brics, Michel Temer diz que não há espaço para improvisos

"A China já é o maior parceiro comercial do Brasil e tem sido, crescentemente, fonte importante de investimentos em nosso país", disse o presidente do Brasil.

No sábado (2), o deputado vai participar do Seminário Empresarial Brasil-China, organizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Cooperação Sul-Sul - Neste ano, a China, que ocupa a presidência rotativa do bloco, convidou para a cúpula em Xiamen os presidentes do México, da Tailândia, Guiné, do Tajiquistão e Egito para participar de uma sessão intitulada "Diálogo das Economias de Mercados Emergentes e dos Países em Desenvolvimento".

No seu discurso, o Presidente Temer afirmou que o Brasil tem interesses na "intensificação das relações empresariais entre os países do BRICS" e considerou que os acordos que serão assinados nesta cimeira ajudarão nesse sentido. "Portanto, minhas senhoras e meus senhores, são fortes a confiança e o optimismo no nosso país", afirmou Temer. Na cúpula será assinado acordo para aproximar os setores produtivos brasileiros ao Novo Banco de Desenvolvimento, criado pelo Brics, que já aprovou 11 projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável em diferentes países, inclusive no Brasil.

Um líder da base aliada admitiu à Reuters que a base aliada está "frágil" e "vulnerável" e que o governo precisa cuidar dos aliados se quiser barrar a denúncia e ainda manter a sua agenda de votações -como a conclusão da votação da meta fiscal e a agenda de reformas.

Como em muitos de seus pronunciamentos recentes, o presidente chinês condenou o protecionismo e defendeu a globalização.

"Queremos que os empreendedores dediquem cada vez mais tempo à produção e à geração de empregos, e menos tempo a exigências burocráticas", disse.

Temer tenta atrair os investimentos dos chineses para o Programa de Parcerias e Investimentos.

"Os empresários anunciaram novos investimos no Brasil". "Nós temos, agora, um novo modelo para concessões e privatizações".

Temer desembarcou na China na última quarta (30). "São aeroportos, terminais portuários, ferrovias, linhas de transmissão de energia e muitas outras oportunidades de investimento", acrescentou.

Temer deveria chegar ao Brasil na noite do dia 6, mas estuda chegar na terça-feira, quando os parlamentares estariam apreciando os destaques das novas metas fiscais.

A imprensa brasileira também não pôde acompanhar o jantar oferecido ao governo brasileiro.

BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados.