Mercado revê para cima previsão de expansão do PIB

PIB da Bahia cresce 1,9

PIB da Bahia cresce 1,9

Para o final de 2018, pela primeira vez foi revisada para 4,18%, após seis semanas mantida em 4,0%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava no mesmo nível. Na estimativa mais recente do BC, atualizada no último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), o saldo positivo de 2017 ficará em US$ 54,00 bilhões.

Nos dois casos, as projeções de mercado indicam que a expectativa é de que a inflação fique abaixo do centro da meta perseguida pelo BC em 2017 e 2018, de 4,5%.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 seguiu em 3,27%. A estimativa de alta foi de 0,39% para 0,50%. Um mês antes, estava em 0,35%. Já a projeção para o câmbio médio no próximo ano foi de R$ 3,31 para R$ 3,30 ante R$ 3,35 de quatro semanas atrás. A projeção no Focus para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano melhorou um pouco, mas indicou que a atividade está longe de pressionar os preços.

No caso de 2018, a projeção segue indicando alta para o PIB de 2,00%. Para 2018, a projeção do IPCA foi reduzida de 4,20% para 4,18%. A próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), responsável por definir a Selic, está marcada para esta semana, na terça-feira (5) e na quarta-feira (6).

No caso da conta corrente, as previsões contidas no Focus para 2017 indicaram déficit de US$ 16,70 bilhões, ante US$ 18,90 bilhões de déficit projetado uma semana antes. Há um mês, estava em 0,81%.

Calculados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), os Índices Gerais de Preços (IGPs) são bastante afetados pelo desempenho do dólar e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas. Para 2018, a projeção também foi reajustada, de 55,60% para 55,65%.

O Relatório Focus trouxe que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 7,25% ao ano.

Para 2017 e 2018 os analistas mantiveram suas projeções para os indicadores de balança comercial (US$ 61,35 bi e US$ 48 bi, respectivamente) e investimento direto estrangeiro no país (em US$ 75 bi para cada ano). Para 2018, a projeção do IPC-Fipe seguiu em 4,23%, ante 4,50% de um mês antes.