Portugal sem ovos contaminados, garante ASAE

Portugal sem ovos contaminados, garante ASAE

Portugal sem ovos contaminados, garante ASAE

Os ovos pertenciam a um lote proveniente da Bélgica sobre o qual recai a suspeita de contaminação por Fipronil.

Uma fonte da Associação Nacional dos Avicultores Produtores de Ovos explicou à Renascença que habitualmente Portugal não importa ovos de outros países.

Recorde-se que a fraude que levou à contaminação daqueles produtos, através daquele pesticida, teve origem em agosto de 2016, com a Holanda a detetar o produto tóxico, usado para desinfestar explorações com galinhas poedeiras.

O caso que terá justificado a entrada de Portugal para a lista de países afetados pela contaminação diz respeito a uma compra feita na Bélgica.

Portugal consta da lista de 26 Estados-membros afetados pelo comércio ou distribuição de ovos contaminados com o pesticida tóxico fipronil, segundo a mais recente lista da Comissão Europeia, a que a Lusa teve acesso, esta terça-feira.

"Os serviços dos RASFF [Rapid Alert System for Food and Feed] comunicaram às autoridades portuguesas o envio de uma remessa de ovos para um consumidor final em Portugal". O uso é expressamente proibido em animais destinados ao consumo humano.

A Autoridade para a Segurança Alimentar e Econômica (ASAE) de Portugal acredita que os ovos comprados pelo consumidor português podem nem sequer ter chegado ao país.

Segundo Gaspar, os dados que as autoridades portuguesas têm indicam que se trata de uma "transação doméstica" e que o comprador é da zona norte do país. E a direção geral de alimentação alemã veio já esclarecer, segundo a BBC, que um consumo excessivo de fipronil no curto prazo "não significa automaticamente que o consumo dos alimentos em questão envolva um risco para a saúde".

De acordo com o documento, citado pela Agência Lusa, apenas na Croácia e na Lituânia não foram detetados ovos contaminados.

O tema está hoje em discussão na reunião informal dos ministros da Agricultura da União Europeia, em Talin, na Estónia, e na qual participa o comissário europeu para a Saúde, Vytenis Andriukaitis.

Segundo o jornal português Diário de Notícias, no dia 11 de agosto deste ano, a Comissão Europeia confirmou que ovos contaminados com fipronil haviam sido encontrados em 15 países da União Europeia (Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Polônia, Reino Unido, Romênia e Suécia), além de Suíça e Hong Kong.