Papa embarca para Colômbia, maz faz apelo para Venezuela

Papa Francisco em visita à Colômbia

Papa Francisco em visita à Colômbia

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos.

Francisco também poderá aproveitar a passagem por Medellín, no penúltimo dia da sua visita, para fazer uma referência ao problema do narcotráfico, um dos estigmas da Colômbia.

O avião com o pontífice, um Airbus A330 da companhia Alitalia, decolou do aeroporto romano de Fiumicino pouco depois das 11H00 locais (6h00 de Brasília) e deve pousar no aeroporto internacional El Dorado de Bogotá às 16H30 locais (18h30 de Brasília).

A 16 de dezembro, o Vaticano acolheu e organizou uma reunião inédita entre o Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e o líder da oposição, o ex-presidente Álvaro Uribe.

Milhares de pessoas esperavam a chegada de Francisco ao local e vários outros milhares vão acompanhar o percurso de cerca de uma hora até à Nunciatura Apostólica (Santa Sé), onde o Papa vai ficar hospedado até domingo, na capital colombiana.

O pontífice argentino, de 80 anos, iniciou a sua 20ª viagem internacional e a quinta para a América Latina.

Francisco explicou os objetivos da sua visita ao território colombiano no tradicional telegrama ao presidente da Itália, Sergio Mattarella, assinalando que quer "apoiar a missão da Igreja local e levar uma mensagem de paz à Colômbia".

"Querido povo da Colômbia, dentro de poucos dias visitarei o vosso país".

Bogotá, 06 set 2017 (Ecclesia) - O Papa chegou hoje para a Colômbia para uma visita de cinco dias, tendo chegado à zona área militar (CATAM) do Aeroporto de Bogotá 20 minutos antes do horário previsto, apesar das dificuldades provocadas pelo furacão Irma. "Também nos empurra a ser os primeiros a amar, para criar pontes, para criar fraternidade".

Durante a sua estadia, até 10 de setembro, Francisco visitará quatro cidades, presidirá quatro missas para multidões, pronunciará 12 discursos e, sobretudo, se reunirá com vítimas e atores do conflito interno.

O papa respaldou sem hesitação as negociações que permitiram o desarmamento de 7.000 combatentes e a transformação da guerrilha das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) em partido político.