Milhões de pessoas fogem do Irma nos EUA — Adeus Flórida

Furacão Irma pode voltar à categoria máxima 5 no momento em que tocar a Flórida

Furacão Irma pode voltar à categoria máxima 5 no momento em que tocar a Flórida

Com ventos sustentados em mais de 240 quilômetros por hora, o Irma já deixou ao menos 22 mortos em sua passagem pelas ilhas caribenhas de St. Martine Barbados, enquanto se aproxima em direção à Flórida.

De acordo com cálculos da agência Enki Research, que têm em conta o valor das propriedades em risco de destruição, o Irma poderá ser o furacão mais caro da história, causando perdas de 120 mil milhões de dólares nos Estados Unidos e nas Caraíbas. Os ventos continuam fortíssimos, de 180 km/h, ainda na categoria 5. A expectativa antes era de que o olho do furacão atingisse principalmente a costa leste, onde está Miami.

No Golfo do México, o furacão Katia tocou terra já durante a noite de sexta-feira, a norte de Tecolutla, México, enfraquecendo para o estatuto de "tempestade tropical" e depois para "depressão tropical".

Pelas 02:00 (hora de Lisboa), o furacão encontrava-se a 170 quilómetros de Key West, o ponto mais a sul dos Estados Unidos, com ventos de 205 quilómetros por hora.

Durante a tarde de domingo, o furacão deverá seguir ao longo da costa sudoeste da Florida.

Mais da metade da população de três milhões de habitantes ficou sem eletricidade. Por lá foram constatadas a destruição parcial de algumas residências, edifícios oficiais, estradas e a pista do aeroporto.

A Agência Federal de Gestão de Emergências (Fema) dos Estados Unidos advertiu que nenhum lugar dessa região está seguro perante o potente furacão.

A morte em Anguilla junta-se às oito registadas na parte francesa da ilha de São Martinho e em São Bartolomeu, e a uma outra, de uma criança de dois anos, em Barbuda.

Também em alerta estão as ilhas do centro e noroeste do arquipélago das Bahamas - até agora poupado ao pior do furacão - à medida que a tempestade se encaminha para Norte, em direcção à Florida, que deverá começar a ser atingida pelo Irma no domingo. De acordo o documento Brasileiros no Mundo, do Ministério das Relações Exteriores, a estimativa é de que quase 1,5 milhão vivam no país.

Um dos mais poderosos furacões já registrados no oceano Atlântico, que arrasou ilhas do Caribe mais conhecidas pelas praias paradisíacas, transformando-as em zonas de emergência, contornou Porto Rico antes de rumar para o norte. Autoridades estimam que 100 mil pessoas podem precisar de abrigo nos próximos dias, e pedem que os moradores saiam das áreas que podem ser atingidas até a noite desta sexta (8).