Operacionais combatem três incêndios. Castelo Branco é o mais grave

Mais de 800 bombeiros combatem as chamas na Sertã

Mais de 800 bombeiros combatem as chamas na Sertã

O incêndio com maior dimensão continua a ser o da Sertã, onde 776 operacionais e 264 veículos combatem as chamas, que deflagraram na sexta-feira.

A garantia foi dada por uma fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o oficial de operações Paulo Santos, à agência Lusa, apontando a queda da temperatura e a redução do vento como fatores benéficos para a resolução do incêndio. Esta manhã verificava-se uma certa acalmia, com os homens no terreno a esperarem pôr cobro às chamas este domingo.

No entanto, o IC8, que estava cortado entre os nós de Várzea de Cavaleiros e Maljoga, foi reaberto ao trânsito durante a madrugada.

Já o fogo em Amarante, no Porto, que deflagrou na tarde de sábado, foi dominado às 03:22 de hoje, indicou a ANPC. Este fogo deflagrou na noite de sábado, na localidade de Chão do Galego, e segundo a RTP 3 ter-se-á complicado durante as últimas horas.

A ANPC adianta que o incêndio da Covilhã, que teve origem num reacendimento pelas 15:45 de sexta-feira, está dominado e permanecem no local 300 operacionais, apoiados por 90 viaturas e dois meios aéreos.

Seja sempre o primeiro a saber.

Os dados que 2017 é o pior ano da última década em termos de área consumida pelo fogo, que também provocou recentemente a maior tragédia florestal na história de Portugal com o incêndio de Pedrógão Grande.

Descarregue a nossa App gratuita.