"Bispo do Porto era um homem de tolerância" — Rui Moreira

Dom António Francisco dos Santos faleceu hoje aos 69 anos

Dom António Francisco dos Santos faleceu hoje aos 69 anos

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Manuel Clemente, encara a morte de D. António Francisco dos Santos, seu sucessor à frente da diocese do Porto, "com uma imensa pena" e como "uma grande perda para a igreja em Portugal, que Deus colmatará na sua misericórdia". Entretanto, a diocese do Porto já atualizou a sua página da Internet com a informação da morte do prelado.

Também Manuel Pizarro, candidato do PS, já lembrou D. António Francisco dos Santos como uma figura incontornável da luta contra as desigualdades e que deixa marcas profundas na sociedade portuense.

Na sua mensagem, António Costa frisa também que "Portugal perde um homem bom" que ele, primeiro-ministro, "apreciava escutar".

Francisco dos Santos era natural da freguesia de Tendais, concelho de Cinfães, Viseu.

Este fim de semana, D. António Francisco dos Santos esteve em Fátima a presidir à peregrinação anual da diocese do Porto àquele santuário, em que participaram milhares de peregrinos.

O bispo do Porto, D. António Francisco dos Santos, morreu esta segunda-feira, aos 69 anos, vítima de enfarte agudo do miocárdio, na Casa Episcopal do Porto, onde residia, anunciou fonte da diocese do Porto. Na mesma note, a CDU informa que vai "retirar elementos festivos das ações de campanha eleitoral até quarta-feira".

A Sé estará aberta até às 24 horas e reabre esta terça-feira às nove, estando as cerimónias fúnebres marcadas para quarta, também na catedral.

O autarca do Porto descreve António Francisco dos Santos como "uma pessoa jovem e jovial, que tinha com as pessoas uma relação de enorme afetividade" e "estava a desenvolver um trabalho extraordinário junto dos mais necessitados".

João Paulo II nomeou-o auxiliar de Braga, a 21 de dezembro de 2004; Bento XVI escolheu-o como bispo da Diocese de Aveiro, em setembro de 2006 e tomou posse a 8 de dezembro do mesmo ano.

António Francisco dos Santos foi responsável pela Diocese de Aveiro durante mais de sete anos, destacando-se pela criação da "Cristoteca" - uma festa de animação nocturna. Esteve nos seminários de Resende e de Lamego entre 1959 a 1971, tendo sido ordenado padre em 1972.