Bovespa fecha em máxima histórica com alívio em cena política e exterior

Bovespa fecha em máxima histórica com alívio em cena política e exterior

Bovespa fecha em máxima histórica com alívio em cena política e exterior

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou esta segunda-feira (11) com uma alta de 1,70% e atingiu os 74.319 pontos, sendo a melhor marca de fechamento na história da Ibovespa. O recorde anterior do índice, que é formado por ações de sessenta empresas, havia sido estabelecido em 20 de maio de 2008 (73.516 pontos).

Com base em dados preliminares, o Ibovespa subiu 1,81 por cento, a 74.403 pontos, máxima histórica. Assim, o governo estaria melhor posicionado para avançar com a sua agenda de reformas no Congresso. No ano, a valorização do Ibovespa alcança 23,40%.

O exterior também ajudou a sustentar o otimismo do mercado local, diante da redução de preocupações com as tensões geopolíticas após a Coreia do Norte não conduzir novos testes nucleares e com alívio após o enfraquecimento da tempestade Irma. Em Wall Street, o S&P 500 avançou 1,1%.

O Ibovespa fechou em queda de 0,45%, a 73.078 pontos, encerrando a semana com alta acumulada de 1,6%.

Petrobras PN avançou 1,9% e Petrobras ON ganhou 2,17%, tendo no radar os desinvestimentos da empresa após a petroleira iniciar processo para venda de ativos de fertilizantes e também ganhando respaldo do cenário político local mais favorável.

Entre os destaques de alta estavam a Vale, CSN, Usiminas e a Gerdau. Segundo analistas do BTG Pactual, a primeira leitura para o acordo era levemente negativa, diante da preferência do mercado pela redução da alavancagem da JBS através de uma venda a uma empresa independente. Também como pano de fundo estava o pedido de prisão de executivos da controladora J&F. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.