Sport massacra Ponte Preta na Ilha do Retiro e ameniza crise

Sport Club do Recife

Sport Club do Recife

O primeiro jogo terminou 0 a 0, na terça-feira, no Paraguai. Após cabeceio de Diego Souza e defesa de Aranha, o zagueiro Ronaldo Alves pegou o rebote e balançou a rede. Claudinho cruzou a bola na área e Saraiva finalizou no lado direito para vencer o goleiro Magrão.

Local: Estádio Ilha do Retiro, em Recife (PE) Data: 13 de setembro de 2017, quarta-feira Horário: 19h15 (Brasília) Árbitro: Gustavo Murillo (COL) Assistentes: Humberto Clavijo (COL) e Wilmar Navarro (COL) Cartões amarelos: SPORT: Durval, Diego Souza, Sander. O gol feito nos minutos finais dá a Ponte Preta o direito de vencer por 2 a 0 em casa para avançar.

Gilson Kleina retorna ao banco de reservas após cumprir suspensão e deverá poupar apenas Emerson Sheik para o duelo. O gol no primeiro lance do jogo deu a tranquilidade que o Sport precisava para trabalhar a posse de bola, os pernambucanos mandavam no jogo e num novo escanteio pela esquerda, o Sport ampliou a vantagem.

O técnico Gilson Kleina adiantou o time da Ponte Preta ao colocar Renato Cajá na vaga de Elton no intervalo.

O Sport abriu o placar logo aos 7 minutos da partida. Aranha não segurou, a bola resvalou ainda em um defensor e Nino Paraíba cortou em cima da linha. Por fim, numa finalização de fora da área, a bola desviou em Luan Peres e explodiu na trave. Na primeira Rithley achou o lateral Raul Prata nas costas da marcação, mas o lateral tentou o drible e acabou desarmado.

O Sport continuou melhor no 2º tempo e pressionou até conseguir o terceiro gol com André, que só aproveitou bom passe de Raul Prata na área.

No Sport, o técnico Vanderlei Luxemburgo vive seu pior momento no clube. Aos 37, Claudinho puxou o contra-ataque e lançou Felipe Saraiva, que tocou de primeira e diminuiu a vantagem pernambucana.

No sábado, às 21 horas, a Ponte Preta recebe o Atlético-GO no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. A Macaca enfrenta a Chapecoense, fora de casa, domingo, às 16h.

Diego Souza, Raul Prata e Mena pararam em Aranha nos 12 minutos iniciais do segundo tempo.

Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Luan Peres e Danilo Barcelos; Naldo, Fernando Bob e Elton (Renato Cajá); Felipe Saraiva, Lucca e Léo Gamalho. Em nova cobrança de escanteio, Mena mandou com perfeição e dessa vez Rithely não titubeou.

No segundo tempo, a pressão que o Sport havia imposto sobre a Ponte nos primeiros 45 minutos, se transformou em desespero para a equipe de Campinas.