Vinícius Pinotti banca permanência de Dorival Júnior no São Paulo

Muricy Ramalho não descarta ajudar o São Paulo na reta final da Série A: “sem ganhar nada”

Muricy Ramalho não descarta ajudar o São Paulo na reta final da Série A: “sem ganhar nada”

Pinotti afirmou que a diretoria confia no comandante para a continuidade desta temporada. Trabalharam juntos no Figueirense em 2002, quando Muricy era o treinador e Dorival atuava como dirigente. Estamos muito satisfeitos com o trabalho dele, mas isso ainda não foi refletido dentro de campo. O Pinotti me telefonou para saber o que achava dessa situação.

O jogo no Barradão contra o Vitória, mais um adversário direto na luta contra o rebaixamento, é visto como decisivo para o São Paulo, já que nas rodadas seguintes o São Paulo enfrentará o líder Corinthians e equipes que querem se fixar na parte de cima da tabela (Sport, Atlético-MG e Atlético-PR). Não tem problema. Sei muito bem conviver com democracia e opiniões divergentes.

Se o São Paulo cogitar contratar um coordenador-técnico, a diretoria promete discutir o assunto antes com Dorival Júnior. "Tenho compromisso com a TV e não quebro contratos".

"Nós já nos pautamos sobre essa questão, isso já vem sendo discutido não é de hoje". - Tomamos conhecimento sobre a declaração do Muricy, sabemos que ele tem contrato (de comentarista), ele é muito honesto, cumpre seus compromissos, mas nada impede que ele possa vir a ajudar o São Paulo - disse Pinotti. Oficialmente esse cargo não tem intenção de ser criado. Sua saída vem sendo sugerida por conselheiros do clube e parte da torcida também cobra a demissão do técnico, que dirigiu o São Paulo em 11 jogos até aqui, somando três vitórias, quatro empates e quatro derrotas. "Não posso dar mais detalhes sobre o Muricy, já tivemos alguns contatos, ficamos felizes com a declaração pública dele, mas não posso mais falar sobre isso", comentou. Mas, sempre que se fala em coordenador técnico, tem que falar com a comissão técnica.

Para tentar tirar o São Paulo da crise no Campeonato Brasileiro, o Conselho de Administração do clube discutiu a possibilidade de se contratar um coordenador técnico para a equipe profissional. O clube anunciou que suspendeu entrevistas coletivas dos jogadores durante a semana, enquanto o elenco aposta nos treinos para contornar atritos internos. E eu fui bem claro com ele, disse que eu não quero ser treinador, não quero ser coordenador, não quero ser nada! "Quando não temos nada a falar, o melhor é não falar nada", filosofou.