Michel Temer ignora críticas e diz que tem colaboração do Congresso

Brasil pode caminhar para o autoritarismo diz Temer

Brasil pode caminhar para o autoritarismo diz Temer

Ao participar de um evento em Itu referente às comemorações do Dia da Proclamação da República, Michel Temer afirmou que o povo brasileiro tem "tendência" para o autoritarismo. "Nós até, o povo brasileiro, temos até, digamos, uma certa tendência para a centralização", afirmou o presidente.

Nesta quarta, Temer 'transferiu' a capital do País para Itu, por conta de sua agenda e da importância histórica de Itu no Dia da Proclamação da República.

"Se nós não prestigiarmos certos princípios constitucionais, a tendência é caminhar ao autoritarismo e para certa centralização", disse. A cerimônia é de outorga de título de cidadania ituana ao ex-vice presidente da Fiesp, o empresário José Eduardo Bandeira de Mello, amigo pessoal do presidente. Participaram 133 convencionais, sendo 78 cafeicultores e 55 de outras profissões, representando os republicanos de várias cidades paulistas.

Para justificar a afirmação, Temer citou episódios passados que representaram ruptura da ordem democrática como em 1030 e 1964, sendo que esta última marcou o início da ditadura militar no Brasil.

De acordo com o presidente, tais movimentos não foram apenas fruto de golpes de Estado, mas ocorreram por vontade do povo, porque "o povo também queria".

O presidente disse que vem sofrendo contestações, que estão sendo superadas.

Temer definiu seu governo como focado na responsabilidade fiscal e social e listou o que considera seus principais feitos até agora: a definição do teto dos gastos públicos; a queda do desemprego, da inflação e dos juros e a recuperação da credibilidade do país nos organismos internacionais.